Quando acentuada, a queda de cabelos causa impactos significativos na autoestima tanto dos homens quanto das mulheres. A calvície, clinicamente chamada de alopecia androgenética, é um problema que pode levar à perda total ou parcial dos fios.

Por que acontece?

Muitas causas estão relacionadas à queda de cabelos e a mais comum associada aos homens, certamente, é a calvície hereditária. No sexo feminino, somente 5% dos casos estão associados ao gene da calvície, que vem de outra mulher na família, ou seja, o fato de ter pai ou avô calvos não tem relação com a calvície da mulher.

Além da hereditariedade, existem outras razões que desencadeiam a condição como:

  • Oleosidade do couro cabeludo e caspa;
  • Distúrbios endócrinos;
  • Tratamento com medicamentos que influenciam no ciclo de crescimento dos cabelos, como os corticosteroides e os citostáticos;
  • Aplicação de químicas como tinturas ou outros cosméticos nos fios;
  • Cistos ovarianos produtores de hormônio masculino nas mulheres;
  • Restrições alimentares que causam deficiências nutricionais.

Estresse causa queda de cabelos?

Muitas pessoas procuram um dermatologista com a mesma queixa de queda capilar e relatam algo semelhante que pode estar causando a condição: o estresse. É muito comum o questionamento se o estresse pode ou não causar a queda de cabelos.

Apesar de não existirem provas de que os fenômenos orgânicos ocasionados a partir de pensamentos ou emoções afetam a saúde dos fios, estudos têm comprovado que o estresse psicoemocional tem influência efetiva sobre o ciclo de atividade do folículo piloso.

Então sim, o estresse realmente pode causar queda de cabelos, que se manifesta por áreas isoladas e redondas. A explicação mais plausível é de que esta alteração ocorre porque o cérebro se mantém “obrigatoriamente” em constante alerta, e como resultado libera substâncias no organismo que ocasionam a queda dos fios.

No caso do eflúvio telógeno, que é uma condição reversível em que os cabelos caem depois de uma experiência estressante, os agentes estressores fazem com que os folículos capilares entrem em um estado de inatividade, impedindo que os cabelos cresçam. Posteriormente, os fios vinculados a esses folículos começam a cair mais do que o normal.

Já na alopecia areata, queda repentina de cabelos, o estresse altera o sistema imunológico que ataca os folículos capilares, ocasionando a perda dos fios em algumas áreas delimitadas do couro cabeludo, muitas vezes em grande quantidade.

Existe tratamento!

Para quem sofre com o problema, a boa notícia é que hoje existem alternativas eficientes de tratamento, entretanto, somente um dermatologista pode definir qual é o método mais adequado, pois é necessário investigar as características e os prováveis fatores desencadeadores da condição.

Dentre as opções terapêuticas estão os medicamentos tópicos; os tratamentos a laser, que podem ser utilizados para estimular o crescimento dos fios; e o transplante capilar, indicado somente para casos mais acentuados.

Se for constatada que a perda capilar está diretamente relacionada ao estresse, ou seja, excluídas quaisquer causas orgânicas, a administração de produtos fortalecedores dos fios e bloqueadores da queda pode ser uma opção, assim como medidas antiestresse.

A Unipharmus manipula fórmulas especiais para o tratamento capilar: shampoo, condicionador, loção capilar, máscara hidratante, entre outras.

Conheça esses e outros produtos acessando a página de Ativos Capilares da Unipharmus: https://www.unipharmus.com.br/rosto-e-cabelo/

Atenção!

Nunca se automedique para tratar a queda de cabelos, pois pode colocar sua saúde em risco. Para saber o tratamento mais indicado, procure um dermatologista!

 

Referências

Queda de cabelos – SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia)

http://www.sbd.org.br/dermatologia/cabelo/cuidados/queda-de-cabelos/

O estresse pode provocar a queda de cabelos?

https://www.dermatologia.net/cat-a-pele/o-estresse-pode-provocar-queda-de-cabelos/

Estresse x Queda de Cabelo: qual a relação entre eles?

http://cosmedical.com.br/blog/sem-categoria/estresse-x-queda-de-cabelo-qual-a-relacao-entre-eles/